Fessmuc participa de etapa da Conferência Nacional das Cidades

Evento é preparatório para Conferência que discute “cidades inclusivas, participativas e socialmente justas”.

Dirigentes da Federação dos Sindicatos dos Servidores Municipais CUTistas do Paraná (Fessmuc) participaram da Conferência Estadual das Cidades que ocorreu em Foz do Iguaçu. O encontro discute propostas do Paraná para serem abordadas durante a 6a Conferência Nacional que aborda “Cidades inclusivas, participativas e socialmente justas”. Etapas regionais têm ocorrido desde 2014, sendo preparatórias para a etapa nacional, que foi adiada para 2019 pelo presidente Michel Temer.

Os encontros apontam para novas características dos municípios, seja em suas áreas urbanas ou rurais. De acordo com o texto base, o “Brasil, desde a metade do século passado, deixou de ser um País rural e passou a ser uma nação intensamente urbanizada. Cerca de 160 milhões de brasileiras (os) estão vivendo nas cidades. Essa concentração da população nas áreas urbanas, sem o planejamento adequado, trouxe alguns problemas para a qualidade de vida da geração atual e comprometendo a sustentabilidade no futuro”.

Cristiane Aparecida Wainer, presidente Sisppmug, debateu a necessidade dos municipais de participarem da conferência. Foto: Arquivo Pessoal

O papel das conferências, portanto, é fazer com que cada município possa pensar sobre os diferentes agentes presentes na cidade, seus interesses, suas identidades e seus conflitos e, nesse contexto, o que precisa ser feito para promover a função social da cidade, quais os desafios a serem superados para alcançar “as cidades que queremos”.

Presente na etapa paranaense, Cristiane Aparecida Wainer, presidente Sisppmug (Municipais de Guarapuava), defendeu a importância de a classe trabalhadora se inteirar sobre os assuntos. “Nós temos papel fundamental para ajudar no desenvolvimento de políticas, habitação, desenvolvimento social, de direitos à terra, acessibilidade e equipamentos públicos próximos da população”, direcionou. Cristiane reforçou que a participação da Fessmuc “é primordial para ajudar a construir cidades melhores para todos e todas”, concluiu.

A função social da cidade e da propriedade
A função social da cidade e da propriedade foi escolhida como eixo condutor deste ciclo de Conferências das Cidades porque ela é o ponto central para o tema do desenvolvimento urbano orientado para a inclusão e a justiça social. Discutir a função social implica no desafio de considerar o interesse social e o interesse individual no espaço urbano em benefício do conjunto da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *