Sismuc e Sispumu participam de atos contra reforma trabalhista

Trabalhadores ocupam sede regional do Ministério do Trabalho contra reforma trabalhista | Foto: Gibran Mendes/CUT-PR

Em Curitiba, trabalhadores ocuparam sede regional do Ministério do Trabalho; em Umuarama, ato aconteceu em frente ao Bradesco, antigo HSBC

 


Na manhã desta terça-feira(11), trabalhadores e trabalhadoras vinculados a organizações sindicais e movimentos sociais ocuparam pacificamente a superintendência regional do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no centro de Curitiba.  O ato na capital e  em  municípios do interior do Paraná foram  em protesto à votação da reforma trabalhista, no plenário do Senado Federal. Apesar da ocupação Mesa Diretora do Senado pelas senadoras Fátima Bezerra, Gleisi Hoffmann, Regina Souza, Vanessa Grazziotin e Lídice da Mata,por mais de seis horas, o texto-base da reforma trabalhista foi aprovado no final da noite de ontem por 50 votos a 26 (e uma abstenção).

Curitiba protesta

A mobilização dos servidores públicos municipais de Curitiba teve início no terminal do Guadalupe, local onde a população foi alertada por dirigentes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) sobre os prejuízos da reforma trabalhista. Entre os principais impactos desta medida sobre a vida dos trabalhadores estão a ampliação da jornada de trabalho, a organização sindical e aumento do assédio moral. “Sabemos que hoje rebaixam os direitos dos trabalhadores da iniciativa privada, mas isso serve de patamar para os servidores públicos. Estamos juntos nessa luta”, enfatizou a diretora do Sismuc, Casturina Berquó, e acrescentou Giuliano Gomes, coordenador Administrativo da entidade: “pioram a vida do trabalhador e com isso retiram dinheiro da economia, aprofundando ainda mais a crise econômica no país”.

Após a caminhada do terminal Guadalupe até a sede do MTE, os trabalhadores se reuniram com o superintendente Regional do Trabalho no Paraná, Paulo Kroneis, e reivindicaram que a posição dos trabalhadores fosse levada ao Ministério do Trabalho nacional.

Umuarama “enterra” Temer


Em Umuarama, Servidores ligados ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Umuarama (Sispumu), se somaram à luta das centrais sindicais e dos dos trabalhadores organizados que realizaram em todo o país manifestações pacíficas contrárias a aprovação da reforma. O protesto aconteceu pela manhã em frente ao Bradesco, antigo HSBC, onde foram colocados caixão, várias cruzes e faixas com o objetivo de sensibilizar a população sobre os prejuízos e as perdas de direitos dos trabalhadores. Ao final do ato, foi realizado o enterro simbólico do presidente Temer.

Com informações do Sismuc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *